Em Defesa do Design Inteligente

Início » Biologia » Pesquisadores Acreditam Que As Enguias De Vidro Usam Bússola Interna Para Encontrar O Caminho Para Casa.

Pesquisadores Acreditam Que As Enguias De Vidro Usam Bússola Interna Para Encontrar O Caminho Para Casa.


Por Science Daily

[Obs texto adaptado a partir do original]

 

e13b26ab74da2ea0ac0030cf0ebb0b50.jpg

 

Cientistas descobrem “relógio” biológico em peixe.

Os cientistas estão mais perto de desvendar o antigo mistério de como as pequenas larvas de vidro da enguia, que começam a viver como crias no Mar dos Sargazos, sabem quando e por onde “sair” da Corrente do Golfo para litorais europeus, para viverem sua vida adulta em estuários costeiros.

Em um novo estudo da Universidade Rosenstiel School of Marine and Atmospheric Science de Miami (UM Rosenstiel School), em colaboração com Institute of Marine Research’s Austevoll Research Station da Noruega, descobriu-se que essas enguias de vidro (Anguilla anguilla) podem sentir o campo magnético da Terra e usá-lo como uma bússola controlada por um relógio “biológico” interno, a fim de orientar-se à costa.

“Este estudo é uma adição importante à nossa compreensão sobre os mecanismos de migração da enguia e também de outras espécies, verificando se sua orientação magnética é controlada por algo como um relógio biológico”, afirmou a professora Claire Paris, da UM Rosenstiel School , autora sênior do estudo.

A odisseia da enguia européia começa quando ela é chocada no Mar dos Sargazos.

Como pequenas larvas, elas viajam milhares de quilômetros ao longo do Oceano Atlântico, esperançosamente chegando à plataforma continental européia. Em algum ponto entre as Ilhas Canárias e o norte da Noruega, elas “saem” da Corrente do Golfo e migram de forma ativa para a costa, indo para os estuários. Algumas enguias permanecem na área costeira, enquanto outras se movem para o interior dos lagos, permanecendo lá, crescendo lentamente, por até 30 anos.

A equipe de pesquisa liderada pelo estudante Ph.D. Alessandro Cresci, também da UM Rosenstiel School investigou o comportamento de orientação das enguias usando uma combinação única de experimentos. Em primeiro lugar, eles observaram as enguias em um aquário circular semi-fechado, chamado Drifting In-Situ Chamber (DISC), pioneiro em Paris, implantado em um fiorde norueguês, um ambiente natural da enguia de vidro, logo antes dela chegar à costa. O próximo passo foi realizar uma análise do comportamento de orientação em uma instalação de teste de magnetorecepção (o “MagLab”), onde elas foram expostas ao campo magnético artificialmente manipulado, de modo que os eixos N-S e L-O foram deslocados em 90 graus.

Usando as mesmas enguias do laboratório orientado para o sul, na mesma direção que nadaram em in situ durante a maré de refluxo, contudo privadas de todas as outras pistas ambientais.

 

cuide-da-sua-bussola-interna.jpg

 

“É incrível que essas pequenas enguias de vidro transparentes consigam detectar o campo magnético da Terra. O uso de uma bússola magnética, pode ser um componente chave fundamental à incrível migração desses animais”, disse Cresci, autor que lidera o estudo. “É também a primeira observação de enguias de vidro mantendo uma bússola enquanto nadam em águas de ambiente artificial, e isso por si só é uma descoberta emocionante”.

O estudo foi designado para entender como esses peixes se orientam enquanto se deslocam pela corrente, sob as mesmas condições ambientais que encontrariam durante a migração para a costa; e para avaliar se usam o campo magnético da Terra como um sistema de referência para orientação e mudança de direção, para guiá-los até a costa de acordo com o ciclo da maré.

Quando as larvas das enguias chegam à plataforma continental, elas se transformam em enguias de vidro transparentes, mudando de forma, fisiologia e comportamento. Em algum momento durante esta jornada – em qualquer lugar das Ilhas Canárias ao norte da Noruega – elas “saem” da Corrente do Golfo e migram ativamente para a costa, indo para os estuários. Algumas enguias permanecem na área costeira, enquanto outras se movem para o interior dos lagos, permanecendo por lá, crescendo lentamente, por até 30 anos.

 


 

A pergunta que não cala… Seria isto; uma “bússola”, um “relógio biológico”, efeito de processos cegos? Estocásticos? Acidentais? Aleatórios? Não guiados? Não projetados? Não programados?

Qual a melhor inferência lógica? Acaso, “tentativa-erro-sorte”, acidente ou design inteligente?

 


 

Journal Reference:

  1. Alessandro Cresci et al. Glass eel (Anguilla anguilla) have a magnetic compass linked to the tidal cycleScience Advances, June 2017 DOI: 10.1126/sciadv.1602007
Anúncios

Não será permitido neste blog, insultos, palavrões, ataques pessoais, caso essas regras não sejam seguidas não perca seu precioso tempo postando comentário. Qualquer comentário que violar a política do blog será apagado sem aviso prévio. Na persistência da violação o comentador será banido.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: