Em Defesa do Design Inteligente

Início » Biologia » Biólogo estupefato com o sapo sem pulmão.

Biólogo estupefato com o sapo sem pulmão.


By Evolution News – Cornelius Hunter

[Obs: Texto adaptado – Os links estão no original em inglês – Imagem do EnV com os devidos créditos] 

080407123824_1_540x360.jpg

Por que os biólogos viajam pelo mundo? Eles vão para o fundo do oceano e para o topo das montanhas, para desertos e selvas. A razão é que eles são recompensados por seus esforços. A única regra na biologia é que não existem regras. Tudo é diferente, e em todos os lugares é diferente.

Quando John Ray viajou pela Europa por três anos, de 1663 a 1666, estudando a flora e a fauna, ele descobriu que os organismos e suas interações eram diferentes em toda parte. A biologia é cheia de diversidade, e não faz sentido à luz da evolução.

Considere o Barbourula kalimantanensis, o sapo que não tem pulmões. Estes anfíbios pequenos, elusivos, sem pulmões vivem em rios frios e rápidos (correntezas), profundos, nas florestas tropicais de Bornéu.

Dez anos atrás, David Bickford e sua paciente equipe internacional de biólogos trabalharam duro e longamente para encontrar alguns espécimes para seu estudo.

Bickford e seus colegas tinham uma idéia do que eles estavam procurando, mas eles não tinham ideia, e nenhuma razão para suspeitar, que o sapo de duas polegadas seria sem pulmão. Como Bickford contou:

No começo eu não acreditava que os sapos não tivessem pulmões, mas então, continuamos vendo a evidência se acumulando. Eu fiquei espantado.

Foi tudo uma lição, mais uma vez, na única regra da biologia, e que a exploração parece sempre recompensar:

A única coisa que mais me impressionou e agora é que ainda há grandes estreias – por exemplo, primeiro sapo sem pulmões! – Foi descoberto no campo. Tudo o que você tem a fazer é ir um pouco além do que as pessoas fizeram antes, e – voila! …Há tantas dificuldades no trabalho de campo, e ainda assim continua sendo a minha maior alegria. Tendo o privilégio inegável de ir a esses locais remotos, vendo alguns dos últimos e maiores tesouros que existem na natureza, e em seguida, começar a estudá-los – bem, todos os dias eu me sinto um sortudo.

Acontece que algumas espécies podem renunciar a seus pulmões completamente em seu desenvolvimento embrionário, dadas as condições ambientais adequadas. Este é outro exemplo de adaptação rápida e dirigida, em resposta ao ambiente.

Se tal plasticidade sofisticada de desenvolvimento pudesse ter evoluído – “E oh! Que grande se!” – Ela não forneceria nenhuma melhoria imediata de aptidão, e assim não seria selecionada em prol de. Estaria sujeita a mutações nocivas, e há muito esquecida nos anais da história evolutiva.

É uma adaptação inteligente, que, repetindo, não faz sentido à luz da evolução.

Cruzado em Darwin’s God.

Anúncios

Não será permitido neste blog, insultos, palavrões, ataques pessoais, caso essas regras não sejam seguidas não perca seu precioso tempo postando comentário. Qualquer comentário que violar a política do blog será apagado sem aviso prévio. Na persistência da violação o comentador será banido.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: