Os fósseis dos supostos ancestrais do homem I


Os achados fósseis dos antepassados humanos de 15 até 6 milhões de anos atrás são tão poucos que caberiam numa caixa de sapatos.

comentário de Richard Leakey e Roger Lewin em seu livro “O povo do lago

Serão apresentado a seguir, de forma resumida, alguns equívocos, contradições e uma fraude relacionados aos fósseis dos supostos ancestrais do ser humano, existem muitos outros fatos que fragilizam os achados arqueológicos como sendo provas favoráveis à teoria da evolução.

 

 

 

Australopithecines

 

Em 1924/1925 foram encontrados na África os primeiros fósseis dos Australopithecines, primatas que foram considerados como sendo um dos ancestrais do homem pelo fato de haver indícios de que eles conseguiam andar eretos por um extenso período de tempo e também por terem sido encontrados artefatos primitivos junto com seus ossos, o que não é  muito divulgado ao público leigo é o fato de que alguns exemplares tinham uma crista óssea no alto do crânio que certos antropólogos declararam não poder apontar para o homem.

 

O Dr. Charles Oxnard e Solly Zuckerman, (conforme “Human Fossils: New Views of   Old Bones,” The American Biology Teacher, Vol. 41, May 1979) usaram um moderno e poderoso programa de análise de multivariáveis onde foram executadas milhões de comparações simultaneamente em centenas de dimensões correspondentes dos ossos de macacos viventes, humanos, e os Australopithecines. O veredicto deles foi que o Australopithecines não são intermédios entre o homem ou os macacos viventes. Esta técnica é bem superior às subjetivas técnicas visuais analíticas da maioria dos antropólogos.

 

Afirmou-se que o Astralopithecus andava de pé, como o homem, por causa de certas características pélvicas. Mas, C. E. Oxnard (em “The Place of the Asustralopithecine in Human Evolution: Grounds for Doubt?” nature, vol. 258, pg 389) demonstrou que os ossos do tornozelo da criatura em questão, que são essenciais para se andar sobre os dois pés, “diferem mais do homem do que do macaco africano”. Os macacos africanos não podem andar em pé como nós. Ao que tudo indica, os Australopithecines também não podiam. Os ossos do pé do Australophitecus foram reconstruídos para se demonstrar como seus pés tinham aspecto humano. Oxnard salientou que o pé igualmente incompleto de um chimpanzé poderia ser reconstituído do mesmo modo.

 

Há também a questão do período em que existiram, muitos declaram ser recentes demais para serem ancestrais do homem. Recentemente também foram publicadas provas que indicavam que estes animais tinham braços longos, pernas curtas e caminhavam apoiados nas costas das mãos, sendo parecidos com macacos existentes atualmente na África, não sendo, portanto, nada mais que simples macacos.

 

Após a descoberta dos primeiros fósseis, discussões científicas foram inibidas por algum tempo devido desavenças que envolviam ciúmes profissionais. Dando continuidade à leitura desta página você verá que a ciência, de modo semelhante às religiões ainda sofre graves prejuízos devido às falhas do caráter humano.

 

fonte : http://s.silva777.sites.uol.com.br/austr.htm

Não será permitido neste blog, insultos, palavras frívolas, palavrões, ataques pessoais, caso essas regras não sejam seguidas não perca seu precioso tempo postando comentário. Qualquer comentário que violar a política do blog será apagado sem aviso prévio. Na persistência da violação o comentador será banido.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s