As grandes dissimilaridades dos embriões


O conjunto de 24 desenhos apresentados ao lado, são de autoria de Haeckel, e foram publicados pela primeira vez em 1866 em seu trabalho chamado “Generalle Morphologie der Organismen“, e republicados em 1874, em sua obra “Anthropogenie“, onde ele pretendeu mostrar embriões de peixe, salamandra, tartaruga, galinha, porco, vaca, coelho e ser humano em três fases de
desenvolvimento (cada coluna [vertical] pertence a uma espécie). Ninguém, até recentemente, se deu ao trabalho de verificar se estes desenhos também não se tratavam de fraudes, presumia-se que tais imagens estão, pelo menos, próximas da verdade, sendo que estas imagens ainda podem ser encontradas em recentes livros de ensino e trabalhos populares sobre teoria da evolução.

Em 1997, o Dr. Michael K. Richardson, conferencista e embriólogo no St George’s Hospital Medical School, Londres, expôs esta fraude adicional em um artigo do jornal Anatomy and Embryology (Michael Richardson et al, 196(2):91–106, 1997), recentemente revisado em Science (Elizabeth Pennisi, “Haeckel’s Embryos: Fraud Rediscovered“, 277(5331):1435, September 5, 1997) e New Scientist (“Embryonic fraud lives on“, 155(2098):23, September 6, 1997).

Richardson disse que ele sempre sentia que havia algo de errado com os desenhos de Haeckel, porque eles não se enquadraram com o seu conhecimento, entendendo que as taxas às quais peixes, répteis, pássaros, e mamíferos se desenvolvem, têm suas características distintas. Richardson não encontrou nenhum registro de qualquer um que tenha comparado, de fato, os embriões destas espécies. Ninguém citou qualquer dado comparativo em defesa da idéia.

Richardson formou uma equipe internacional para examinar e fotografar a aparência externa de embriões de uma grande quantidade de espécies de vertebrados, nos estágios descritas por Haeckel.

A equipe colecionou embriões de 39 criaturas diferentes, inclusive marsupiais da Austrália, sapo de árvores de Porto Rico, serpentes da França, e um embrião de jacaré da Inglaterra. A equipe concluiu que os embriões de espécies diferentes são muito diferentes entre si. De fato, eles são tão diferentes que os desenhos feitos por Haeckel possivelmente não poderiam ter sido feitos a partir de observações em espécimes reais.

Na primeira linha, os desenhos de Haeckel, de vários embriões diferentes, mostrando  incrível semelhança em uma determinada fase do desenvolvimento.

Na segunda linha, as fotografias de Richardson de como os embriões realmente são, na mesma fase de desenvolvimento citada por Haeckel. Comparando as duas linhas, percebe-se claramente que os desenhos de Haeckel não se basearam em qualquer observação real.

Da esquerda para direita: Salmo salar (peixe), Cryptobranchus allegheniensis (salamandra) , Emys orbicularis (tartaruga), Gallus gallus (galinha), Oryctolagus cuniculus (coelho), Homo sapiens (ser humano).

Não será permitido neste blog, insultos, palavras frívolas, palavrões, ataques pessoais, caso essas regras não sejam seguidas não perca seu precioso tempo postando comentário. Qualquer comentário que violar a política do blog será apagado sem aviso prévio. Na persistência da violação o comentador será banido.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s